sexta-feira, 24 de outubro de 2014

Aniversário da Daniele Corpse

Oi gente, tudo bem com vocês?

Com certeza todas nós blogueiras temos alguém que nos influenciou de certa forma nessa atividade chamada blogar. Pois é, no meu caso, quando comecei a procurar por blogs que tivessem mais haver comigo, encontrei o da Dani, que é uma mulher que com toda certeza nos ajudou nas nossas dúvidas de estilo e maquiagem e nos influenciou em ter autenticidade.

Esse post é uma pequena homenagem a nossa linda blogueira metalgirl Daniele Corpse do Beauty and Brains!
Abaixo, 10 motivos pelos quais seguimos e gostamos dessa lindona!
Eu espero que vocês gostem e ela também. :)

1- Ela é chique e elegante.


2- Arrasa no cosplay:



3- É super trabalhada na tr00eza;



4-  Linda de cabelo liso:




5- E cacheada também:





6 - É Drag Metal toda trabalhada com supercílios!



7- Glamourosa:


8 - Faz tutorial de maquiagem das divas 'gótica' pra gente:



9 -  Samba na cara da sociedade sua trevosidade:



10 -  Faz uns "look that kills" que mata as seguidoras  de tanta emoção!




Feliz Aniversário Dani, muitos anos de vida, muitas felicidades e realizações na sua vida. Continue sempre nos inspirando com sua criatividade e beleza <3


Fotos reprodução do blog Beauty and Brains.

Bloody Kisses :*

segunda-feira, 20 de outubro de 2014

Tales of Mystery and Imagination - The Alan Parsons Project

Oi, gente. Tudo bem?
Ando bem sumida daqui, mas é que além da minha tendência à procrastinação, o trabalho e faculdade estão me sugando bastante ai ficou meio complicado de escrever... 

Pra resolver esse meu sumiço, resolvi (finalmente), escrever sobre um álbum que eu adoro. Na verdade, eu o vejo como uma forma diferente de experimentar algumas das mais renomadas obras do nosso tão querido Edgar Alan Poe. O álbum em questão se chama ‘Tales of Mistery and Imagination’, e é da banda de rock progressivo, The Alan Parson’s Project.



Conheci a banda através do álbum ‘I, robot’, baseado na obra de mesmo nome de Isaac Asimov, mas o álbum que realmente me apaixonou, foi o citado “Tales of Mistery and Imagination”. 

Alan Parsons é um engenheiro de som e produtor de discos inglês que ganhou renome por ter trabalhado no estúdio Abbey Road em gravações dos Beatles e, especialmente, pelo trabalho no álbum The Dark Side of the Moon, do Pink Foyd. Ele fundou o Alan Parson's Project na década de 70 e o Tales of Mystery and Imaginations foi o seu primeiro álbum, lançado em 1976 .

Uma curiosidade sobre esse álbum é que ele possui duas versões, pois a ideia original era que o disco tivesse narrações gravadas por Orson Welles, porém isso acabou não acontecendo na edição original e, somente em 1987, quando a primeira versão em CD foi lançada é que essas narrações foram adicionadas ao disco.

Não sou uma entendedora de música, então não seria capaz de falar sobre a técnica ou proezas de arranjos e execução das canções, e também não vou nomear e falar dos integrantes ou participantes do álbum, mas quem tiver interesse em buscar informações a respeito, fique a vontade de deixar suas contribuições nos comentários. Vou apenas ressaltar que, como toda banda de rock progressivo que se preze, seus discos tem a parte técnica muito bem trabalhada e sonoridade rica em detalhes, que contribuem para que o efeito final fique muito bom.


O ‘Tales of Mistery and Imagination’ é uma interpretação musical para alguns dos contos e poemas do Poe, entre os quais, estão incluídos clássicos como "The Raven" e "The Tell-Tale Heart", e outras obras não tão afamadas como “(the sistem of) Doctor Tarr e Professor Fether”, por exemplo.
Quanto às músicas e melodias – Elas são hipnotizantes, principalmente em “The Raven”, que é muitíssimo equilibrada entre momentos tranquilos e explosões. Acho especialmente foda nessa música os vocais meio codificados (não sei bem como definir isso). Lembro que da primeira vez que ouvi fiquei bem na dúvida se eram vocais mesmo ou algum instrumento ou efeito que fizesse parecer cantado. Além disso, o refrão dessa música (que também é o trecho mais conhecido do poema de mesmo nome) é muito marcante, justamente pelo motivo de ser um conto tão familiar. Depois de ouvir esse disco é que a frase “This quoth the Raven, ‘nevermore’” não vai sair da sua cabeça mesmo. *risos
Encarte do disco
 Meus amigos no facebook sabem que eu já impregnei com esse disco lá, há um tempo e a razão é simples: acho todas as músicas desse disco muito boas. Apesar disso, “The Tell-tale heart” é disparada a minha favorita...  Tanto pela extravagância vocal, quanto às partes de instrumentos de sopro, a interpretação da canção, a parte mais orquestral ou mais calma, tudo contribui para que a música seja muito marcante e empolgante, fora que o conto é um dos que mais gosto também.
Quanto a música “Fall Of House Of Usher" que é a mais épica do álbum, ela foi inspirada no fragmento de ópera de Claude Debussy, chamado "La chute de la maison Usher". Apesar de achar essa música muito boa, confesso que não a acho tão arrematadora quanto poderia ser.  mas como já disse, acho todas as canções muito boas.
Página seguinte do encarte
Há de se ressaltar o esforço que deve ter sido transformar em músicas, obras tão conhecidas e tão veneradas como as do Poe, justamente pelo prestígio do autor. É bem delicado mexer com obras de grandes artistas e, como é de se esperar, o argumento “o disco não está à altura das obras originais” pode ser recorrente. Entretanto, ainda que este seja um argumento válido, não devemos subestimar o álbum.
Só consigo pensar em uma facilidade que pode ter havido para a criação do álbum: a popularidade dos contos facilita a compreensão das ideias conceituais do álbum e isso pode ter dado uma maior liberdade criativa aos compositores e músicos.
De forma geral, são músicas que nos transportam direto para a atmosfera dos trabalhos mais famosos do Poe e, mesmo sabendo que é uma zona de risco indicar isso aqui, pois creio que várias de vocês sejam admiradoras do Poe e podem não gostar, acho que pode ser um disco bem interessante e que pode agradar bastante a quem se atrever a experimentar!

The Raven

Tell-tale Heart

The fall of the house of Usher



Espero que tenham gostado, beijim e até mais! 


sexta-feira, 17 de outubro de 2014

Show do Dream Theater- Fortaleza


Oi gente, tudo bem?


O Dream Theater passou pelo Brasil com a turnê "Along For The Ride", onde promoveu o mais recente disco, auto-intitulado. O show aqui em Fortaleza foi nesse último sábado, no Siara Hall.
O show começou às 23:00 pontualmente e foram tocadas as músicas do set list abaixo, sem improvisações. Com toda certeza o show do Dream Theater é daqueles que você não quer piscar pra não perder nem um segundo.

É claro que mesmo que com um set list lindo desses, faltaram várias músicas que todos nós fãs sentimos,  mas eu fiquei muito feliz de ter tido quatro músicas do álbum "Awake'. *-*

O show foi de encher os olhos e eu fiquei muito feliz de poder rever alguns amigos. :)

Eu nem lembrei de tirar fotos do show, pra mim agora eu me importo mais em curtir o show, e tentar guardar aquele momento na minha memória. Meu marido tirou algumas, mas na pressa não percebeu que  a câmera estava num modo que fez as fotos ficarem desfocadas. :(
Mas estão aí só pra não dizer que não teve nenhuma! :)


Adicionar legenda
Fotos do show ficaram embaçadas. :(
Adicionar legenda

Na entrada do Siara Hall.



Set List:

Act 1:
1. False Awakening Suite
2. The Enemy Inside
3. The Shattered Fortress
4. On the Backs of Angels
5. The Looking Glass
6. Trial of Tears
7. Enigma Machine (drum solo por Mike Mangini)
8. Along for the Ride
9. Breaking All Illusions

Act 2:

10. The Mirror
11. Lie
12. Lifting Shadows Off a Dream
13. Scarred
14. Space-Dye Vest
15. Illumination Theory
Encore:
16. Overture 1928
17. Strange Déjà Vu
18. The Dance of Eternity
19. Finally Free

Fonte: Whiplash





Bloddy Kisses :*


segunda-feira, 13 de outubro de 2014

Blogueiras do Lilith!

Oi gente, tudo bem?

No sábado que passou, esperávamos ansiosas pelo show do Dream Theater. Pela manhã, aproveitamos para fazer um passeiozinho básico pela Galeria do Rock de Fortaleza. A Thays não mora mais aqui no Ceará, então a gente acaba se vendo pouco. Mas sempre é festa quando nos reencontramos. Foi bem legal poder rever minha amigona e parceira aqui do blog!

Logo logo tem look, fotos e resenha do show!

Bloody Kisses :*


terça-feira, 7 de outubro de 2014

Meu look: Killers.

Oi queridos, tudo bem com vocês?
Andei sumida, estava sem internet, fui pra casa da mãe e aproveitei pra rever alguns amigos. Foi bem legal, sair pra conversar e relembrar os velhos tempos. É legal também você se afastar um pouco do mundo virtual, porque você percebe que é muito mais divertido fazer outras coisas e ter história pra contar! 

Acabei fazendo essas fotos com meu amigo Wellington Vieira que é lindo e super criativo. Mesmo tendo pouco tempo, tinha que resolver várias coisas com minha mãe na cidade, ainda deu pra matar a saudade e conversar. Aproveitando, ele tirou algumas fotos minhas, que por sinal eu adorei e tava louca pra colocar aqui no blog! 

Vale a pena conferir as fotos desse moço bonito aqui no instagram dele.






iron maiden - killers




Essa blusa do Iron Maiden, na verdade era uma blusa masculina. Pedi a costureira para acinturar e retirar as mangas. Ela é uma blusa fina e ótima pra desfilar nesse calorão aqui do Ceará.





















Espero que tenham gostado!
Até a próxima! :*




sexta-feira, 26 de setembro de 2014

Corpse Paint

Oi queridos, tudo bem com vocês?

Essa semana eu resolvi tentar uma maquiagem artística. Há alguns dias atrás, estava rolando no facebook um desafio "sem make", vocês lembram? Pois é, para fazer diferente e chocar (como sempre), as bangers acabaram criando o desafio do Corpse Paint. Eu amei a ideia e entrei nessa!

O corpse paint, (pintura de cadáver) é uma pintura que reflete um aspecto cadavérico e que retratam expressões de ódio e agonia. Normalmente as cores usadas são preto e branco, mas há algumas bandas que também usam o vermelho, simbolizando o sangue.

Tá certo que quando você fala de corpse paint, lembra logo de black Metal. Mas, a pintura, cronologicamente começou a ser usada nos anos 60 pelo roqueiro inglês Arthur Brown.  Nos anos 70 com Alice Cooper, KISS e Misfits, no Brasil,  Secos & Molhados . Daí, nos anos 80, é que bandas de death/black metal como Hellhammer, Sarcófago (Brasil), King Diamond e Mercyful Fate, utilizaram o mesmo com um estilo mais obscuro que os anteriores. Finalzinho dos anos 80, temos exemplos de bandas como Mayhem e nos anos 90, Darkthrone e  Immortal. 




Eu contextualizei um pouco pra esse corpse paint não ficar perdido no tempo e no post, e eu espero fazer mais alguns e me aprimorar!

Eu usei maquiagem pra pintura de rosto, branco e preto, lápis de olho, batom preto, delineador preto em gel e um pincel grosso pra base.




Considerações finais:

Eu adorei ter feito esse corpse paint, e isso me fez querer me aprofundar na maquiagem artística. Quem sabe eu não tento outras abordagens da próxima vez, não é? 

Agora, imagina só aí a pessoa postando no facebook com corpse paint. Mas como assim, você, sendo mãe? haha Eu imaginei isso!  Eu sei que depois que a gente tem filho, algumas mudanças acontecem. Interessante, que não muda quem você é, lá no íntimo. Eu sempre me deparo, fazendo as mesmas coisas que fazia antes, por exemplo, ouvindo, vendo e lendo o que eu gosto, quase tudo com uma temática obscura, indo pros shows de Metal, fazendo a maquiagem que eu gosto, usando as roupas que gosto de usar. Há algum tempo aprendi que se somos de um jeito, temos que assumir, tanto a parte boa quanto a chata, de que é as pessoas te admirarem pelo que você é ou não. Eu continuo com meu planos, e eu é que não vou mudar o que sou! :)

Espero que tenham gostado do resultado, e se reproduzirem, mandem pra mim pra eu ver. Eu adoro! *-*

Bloody Kisses :*

terça-feira, 23 de setembro de 2014

Pacatuba Metal Fest

Oi gente, tudo bem?
No final de semana, eu, marido; filha e alguns amigos comparecemos ao evento aqui da cidade Pacatuba Metal Fest, realizado com bandas de diferentes vertentes do metal aqui da região. Eu fiquei muito animada desde que soube do evento, e acabei ficando resfriada justo no dia ! :'(. Muito chato isso, mas eu consegui me arrumar e ir mesmo assim. Sobre o look: o vestido que estou usando nas fotos abaixo, foram customizados por mim. Vou fazer um post sobre ele. 
(Eu esqueci de tirar foto antes de sair do look e também esqueci de levar a câmera. As fotos do evento foram cedidas.) :(

Bandas que participaram: 

Intrusor (Maranguape - CE) Hard/Heavy Metal
Facebook






  Slave (Pacatuba - CE) Death /Thrash 

Rail Road
(Horizonte - CE) Thrash/Heavy Metal

Facebook






SoulAgony (Maracanaú - CE) Death Metal




Todas as bandas foram muito boas, não vou favoritar ninguém pra não ficar chato. Resolvi falar nesse post da banda Cold Lake porque eu já havia conversado com a Talita, vocalista da banda, antes do show e também porque já tinha escutado o som da banda, inclusive gostei muito! Como eu não levei câmera, não pude tirar fotos de nenhuma banda do evento. :(

Comprei essa demo da banda Cold Lake, intitulada "Seven Years". Cold Lake, é uma banda de Power/ProgMetal. Dá pra notar logo de cara as referências musicais para a Talita, que canta lírico, algo que se assemelha à Tarja Turunen.


Cold Lake
Eu e a Talita, vocalista da Cold Lake. 

Cold Lake
Não dá pra ver muito bem, mas estou com a demo da Cold Lake. :)




Cold Lake (Maracanaú  - CE) - Power/ProgMetal
Redes Sociais:  Cold Lake: Facebook
Confira algumas músicas da banda, abaixo:





Bloody Kisses :*

Posts relacionados

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...